Abinforma Notícias

Inovação como forma de reduzir a disparidade de gênero no empreendedorismo [INOVA-AÇÃO]

A disparidade de gênero existente na academia, com pequena participação das mulheres em atividades de pesquisa, inovação e relacionamento com a Indústria é bem documentada na literatura e os estudos que buscam explicar as causas do gap ganham cada vez mais relevância. Também é bem conhecido o fato de que esse gap de gênero não existe somente no ambiente acadêmico, mas está fortemente presente nas atividades empreendedoras, com um número relativo muito maior de homens envolvidos na criação de empresas de base tecnológica. Um estudo recente de Gompers e Wang analisou 42,5 mil empreendedores de startups. Destes, 91% são homens e 9% são mulheres. Concentração que ocorre da mesma maneira nas empresas de venture capital, que financiam o empreendedorismo. Segundo Gompers, perto de 80% dessas nunca contrataram uma investidora mulher.

Não existe consenso sobre as razões que levam ao nível tão baixo de empreendedorismo feminino. Mesmo diante de um avanço no número de mulheres graduadas nas áreas de ciência e engenharia nos últimos 25 anos, esse crescimento não é refletido na criação de novas empresas. Ou seja, não é a falta de mulheres capacitadas e bem formadas que origina essa disparidade.

O mercado financeiro e de venture capital é caracterizado por uma elevada participação masculina e os profissionais dessa indústria tendem a se associar e se relacionar com empreendedores que compartilham das mesmas características demográficas que eles. Assim, quando investidores homens precisam definir onde aplicar os recursos, há uma tendência em escolher empresas criadas por outros homens. Dessa forma, a atração de mais mulheres para as empresas de investimento é uma das formas mais impactantes de alterar o gap de gênero existente. Felizmente, novos grupos de investimento anjo e venture capital com foco em startups femininas vêm surgindo para amenizar o problema. 

Outra ferramenta importante para redução da disparidade é uma inovação nos instrumentos de captação de recursos para startups chamada de crowdfunding. Este é um novo canal de investimento para projetos de inovação baseado na internet, por meio do qual investidores aportam recursos em novas empresas em troca de produtos, serviços ou participação acionária. Crowdfunding representa uma maneira mais democrática e colaborativa de angariar recursos necessários para viabilizar o desenvolvimento de novas ideias e empresas. A proporcionalidade de gênero nas plataformas é muito mais balanceada. Segundo dados da Kickstarter, uma das mais importantes plataformas de crowdfunding do mundo, 44% de todos investidores cadastradas são do sexo feminino. Essa nova forma de captar recursos se tornou uma das mais importantes fontes de financiamento para empreendimentos criados por mulheres.


Alexandre Peteffi
Consultor de Inovação