Notícias

Feira italiana deve gerar US$ 45 milhões para calçadistas

A participação de 45 marcas brasileiras na feira italiana Expo Riva Schuh, ocorrida entre os dias 15 e 18 de junho, em Riva del Garda, gerou US$ 45 milhões em negócios, somados os realizados in loco e os alinhavados no evento. A ação foi realizada com o apoio da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). 

A analista de Promoção Comercial da entidade calçadista, Ruísa Scheffel, ressalta que, in loco, foram comercializados 712 mil pares que geraram US$ 10,37 milhões, 20% mais do que no evento do ano passado.  Para os próximos seis meses, a expectativa é de que sejam vendidos mais 1,6 milhão de pares, somando um total de US$ 45 milhões em negócios. Segundo ela, a feira se mostra fundamental para marcas exportadoras, visto que, em alguns casos, a participação responde por mais de 60% do total de pedidos internacionais da temporada primavera-verão. No relatório da Abicalçados consta ainda que foram realizados 650 contatos com importantes compradores internacionais, 250 destes novos, o que demonstra um interesse crescente nas marcas brasileiras.

Ruísa avalia que as marcas saíram satisfeitas do evento. “Por ser uma feira de verão, a principal estação para o calçado brasileiro, as expectativas sempre são mais altas. As empresas realizaram bons contatos, que prometem se reverter em pedidos nos próximos meses”, comenta, destacando a presença maciça de compradores norte-americanos, algo incomum para a mostra italiana. Segundo ela, a situação pode ser explicada pela guerra comercial travada entre Estados Unidos e China, que tem provocado uma busca de novos fornecedores por parte dos importadores estadunidenses. “Em maio, entrou em vigor, nos Estados Unidos, o aumento na tarifa de importação para calçados provenientes da China, que passou de 10% para 25%. O fato fez com que importadores locais buscassem alternativas em outros países”, explica Ruísa. 

Expositores
Para a Democrata, de Franca/SP, a feira rendeu bons resultados. Os clientes que a empresa havia agendado vieram todos, o que mostra a consolidação da marca nos mercados. “Abrimos um novo mercado, que era o principal objetivo da empresa, além de mantermos parceria sólida com clientes importantes da Região”, conta o gerente de exportação da empresa, Anderson Melo, ressaltando a importância de manter a participação na feira italiana como forma de consolidação no mercado. 

Novos mercados também foram desbravados pela Werner, de Três Coroas/RS. Segundo o coordenador de exportação da empresa, Isaque Weber, clientes tradicionais visitaram o estande, aos quais foram somados novos com “muito potencial”. Segundo ele, foram abertos mercados na Índia e em países do Leste Europeu. “Esta edição também foi importante para reativar contatos que estavam um pouco afastados”, avalia Weber, para quem a edição superou a do ano passado, prometendo somar bons resultados para as exportações do segundo semestre da empresa. 

Participaram da mostra italiana as marcas brasileiras Klin, Werner, Andacco, Carrano, Madeira Brasil, Verofatto, Piccadilly, Pegada, Vizzano, Beira Rio Conforto, Moleca, Molekinha, Molekinho, Modare Ultraconforto, Usaflex, Tabita, Pampili, Cravo & Canela, Jorge Bischoff, Loucos & Santos, Ramarim, Comfortflex, Whoop, Stéphanie Classic, Cristófoli, Suzana Santos, Renata Mello, Sapatoterapia, Democrata, Petite Jolie, Sollu, Pimpolho, Indiana Colours of Brazil, Grendha, Grendene Kids, Copacabana, Cartago, Capelli Rossi, Capodarte, Dumond, ADG Export, Adrun, GVD International, Arezzo e Awana.