Notícias

Exportações de calçados geram US$ 71,6 milhões em maio

Ainda não foi desta vez que as exportações de calçados decolaram.  No mês passado os calçadistas embarcaram 8,36 milhões de pares por US$ 71,65 milhões, registros inferiores tanto em volume (-2,7%) quanto em faturamento (-4,9% ) na relação com igual período do ano passado. Com o resultado, no acumulado dos cinco meses do ano, os calçadistas somam 48,63 milhões de pares exportados por US$ 367,48 milhões,  números 1,7% superiores em volume e 4,7% inferiores em receita no comparativo com igual período do ano passado (47,8 milhões e US$ 385,44 milhões).
 
Para o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, a oscilação cambial provocada por questões políticas e econômicas internas tem provocado uma desconfiança generalizada dos mercados e prejudicado a formação de preços para o exterior. “Infelizmente, só poderemos colher os benefícios de um dólar valorizado quando a situação política e econômica brasileira encontrar um rumo. Do ponto de vista da formação de preço, é melhor um dólar menos valorizado do que oscilando da forma que está”, ressalta o dirigente, acrescentando que as incertezas da crise brasileira atrasaram a recuperação dos embarques num ano que “tinha tudo para ser promissor”.
 
Apesar da queda no resultado geral, Klein comemora a recuperação de mercados importantes para o calçado brasileiro. Nos cinco primeiros meses de 2016, o maior comprador do produto verde-amarelo, os Estados Unidos importaram 5,3 milhões de pares por US$ 80,3 milhões, números superiores tanto em pares (20%) quanto em dólares (17%) na relação com igual período do ano passado.
 
Com recuperação surpreendente desde a posse do presidente Maurício Macri, a Argentina importou 2,8 milhões de pares por US$ 34,5 milhões no período, registros 111% superiores em pares e 61,5% maiores em faturamento em relação ao mesmo ínterim de 2015.
 
A França, no terceiro posto entre os importadores de calçados brasileiros, comprou 4,48 milhões de pares por US$ 22,8 milhões no período, 2% menos em pares e 4,2% menos em dólares na relação com o ano passado.
 
Estados
O maior exportador de calçados do Brasil segue sendo o Rio Grande do Sul. Nos cinco primeiros meses de 2016, os gaúchos embarcaram 10,6 milhões de pares por US$ 156,26 milhões, incrementos de 44,1% em pares e 11% em dólares na comparação com igual período do ano passado. Com isso, os gaúchos responderam por mais de 36% do total gerado com exportações de calçados no período.
 
O segundo maior exportador é o Ceará. Nos cinco primeiros meses do ano, os cearenses embarcaram 18,45 milhões de pares por US$ 97,76 milhões, resultados inferiores tanto em pares (-2,8%) quanto em valores (-2,1%) em relação ao mesmo período de 2015.
 
São Paulo segue ocupando o terceiro posto entre os exportadores. De janeiro a maio, os paulistas embarcaram 4,23 milhões de pares que geraram US$ 45,48 milhões, números 7% superiores em pares e 18,3% inferiores em dólares na relação com o ano passado.
 
Importações em queda
Desmotivadas pela valorização do dólar, que deixa o produto importado mais caro no Brasil, as importações de calçados seguem caindo em 2016. Nos cinco meses do ano entraram no País 10,68 milhões de pares por US$ 139,8 milhões, números inferiores tanto em volume (-34,5%) quanto em receita (-39%) na relação com 2015. As principais origens das importações no período foram Vietnã (4,2 milhões de pares por US$ 74,75 milhões, quedas de 35,2% e 37,6% respectivamente); Indonésia (1,66 milhão de pares por US$ 29,5 milhões, quedas de 45% e 47,4%, respectivamente); e China (3,9 milhões de pares por US$ 17,56 milhões, quedas de 7,5% e 30,5%, respectivamente).
 
Análise
Para analisar o ambiente para exportações de calçados, a Abicalçados e entidades parceiras promovem amanhã, dia 8, no Hotel Locanda, em Novo Hamburgo/RS, mais uma edição do evento Análise de Cenários. Conduzido pelo economista e consultor Marcos Lélis, o evento pretende deixar o cenário mais claro para os calçadistas que desejam se inserir ou aumentar suas presenças no exterior.  O evento inicia às 18h30 e é exclusivo para associados da entidade e parceiros.