Notícias

Entidades setoriais unidas realizam a “melhor Fimec” dos últimos anos

A união da cadeia coureiro-calçadista para desenvolvimento do setor foi a tônica de todos os discursos das entidades envolvidas na realização da 41ª edição da Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes (Fimec), mostra que encerra hoje, dia 16, na Fenac, em Novo Hamburgo/RS. 

A coletiva de imprensa de avaliação dos resultados reuniu um bom número de jornalistas, iniciou com a exposição do diretor-presidente da Fenac, promotora da Fimec, Márcio Jung. Empossado em janeiro deste ano, o dirigente encarou sua primeira feira com naturalidade e impôs mudanças que agradaram os mais de 500 expositores, entre elas o menor número de dias, o que concentrou e qualificou a visitação. “Tenho convicção de que, com a união de todas as entidades presentes, conseguimos fazer a melhor Fimec dos últimos anos. Durante os dias, conversei com os expositores que relataram um evento muito animador para os negócios”, destacou. 

A prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, apoiadora do setor coureiro-calçadista de longa data como dirigente de entidades setoriais, ressaltou o ambiente positivo gerado pela mostra. “O nosso empresário está mais otimista com a recuperação econômica e deve aumentar os investimentos”, disse, destacando a união setorial das entidades como um grande trunfo para o desenvolvimento do setor. 

Para o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, o setor demonstrou uma integração essencial para a retomada da competitividade. “O grande destaque desta Fimec, além dos negócios que foram gerados, foi a união setorial, uma integração que não é natural em muitos setores econômicos e que devemos comemorar como um pilar da nossa competitividade”, comentou. Segundo o executivo, o ambiente positivo, de relacionamento, proporcionado pela feira foi fundamental para o sucesso dos negócios. “E essa coletiva de imprensa servirá para catalogar esse momento de integração, para que a sociedade perceba, louve e comemore conosco esse fator de competitividade”, concluiu. 

Qualificação 
O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para Couro, Calçados e Afins (Abrameq), Marlos Schmitt, destacou que a cadeia sai fortalecida da Fimec, vivendo um ambiente mais otimista e de retomada da economia. “Também é importante frisar a qualidade dos visitantes que, em um menor número de dias, nos proporcionou a potencialização das ações e dos negócios”, avaliou o dirigente. 

Endossando as palavras dos dirigentes das entidades, José Fernando Bello, presidente-executivo do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), ressaltou os projetos de integração realizados durante a feira, entre eles o FF Exchange, rodada de negócios entre curtumes e calçadistas promovida pela entidade em parceria com a Abicalçados. 

Fábrica Conceito
Um dos grandes destaques desta edição da Fimec foi a Fábrica Conceito, estrutura que durante os três dias da feira proporcionou a produção, in loco, de mais de cinco mil pares de calçados e viabilizou aos visitantes uma experiência no interior de uma fábrica, com o que existe de mais atual em tecnologia de máquinas, equipamentos e produtos inovadores.

O idealizador da Fábrica Conceito, Luis Coelho, ressalta que esta foi a 8ª edição da iniciativa, realizada em parceria com a Fenac e o Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçados e Artefatos (IBTeC). “Quando iniciamos a Fábrica Conceito, eu tinha o sonho de realizar um projeto grandioso, que fosse social e sustentável e mostrasse a realidade do setor calçadista para os visitantes. Esta edição superou o meu sonho”, comemorou o empresário, que registrou uma visitação maior do que nas edições anteriores.

Segundo Coelho, a Fábrica foi viabilizada com o apoio fundamental de mais de 70 parceiros, entre empresários que cederam maquinários e materiais. “Além disso, a iniciativa tem um aspecto social relevante, pois muitos dos funcionários que trabalham durante os dias da feira, e estão desempregados, saem daqui com empregos devido à visibilidade que ganham durante esses três dias”, completou Coelho.

Falaram na coletiva de imprensa também os representantes das demais entidades parceiras: Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação das Indústrias de Curtumes do Rio Grande do Sul (AICSul), Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçados e Artefatos (IBTeC), Associação Brasileira dos Químicos e Técnicos da Indústria do Couro (Abqtic) e Associação Comercial e Industrial da Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI NH/CB/EV). 

Fimec
Considerada a maior feira da indústria de base do setor calçadista na América Latina, a Fimec está sendo realizada desde o dia 14 nos pavilhões da Fenac com mais de 500 expositores, devendo receber, ao final dos três dias de evento, mais de 30 mil visitantes do Brasil e de outros 28 países, principalmente da América Latina.

A próxima edição do evento ocorrerá entre os dias 6 e 8 de março de 2018, também na Fenac, em Novo Hamburgo/RS.