Abinforma Notícias

Entidade promoveu ações na Fimec 2019

Encerrando com saldo positivo, com 500 expositores apresentando suas novidades da indústria de base para o setor calçadista para mais de 25 mil visitantes, a 43ª edição da Fimec, contou com participação ativa da Abicalçados. A mostra, considerada a maior do setor na América Latina, foi realizada na Fenac, em Novo Hamburgo/RS, entre os dias 26 e 28 de fevereiro. 

Para o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, a feira apontou para a excelência do setor de componentes, couros, máquinas e produtos químicos para o setor calçadista. “A percepção que tenho e que ouvi de diversas pessoas é de que a Fimec confirmou a expectativa de dias melhores, a partir do retorno da demanda por calçados”, avalia. O executivo destaca, ainda, a realização do Fórum Fimec, pelo segundo ano consecutivo. “A Fenac, enquanto promotora da mostra, tem feito um esforço no sentido de realizar atividades diferenciadas ao longo do evento, trazendo informação e capacitação para expositores e visitantes. O Fórum é uma dessas ações”, acrescenta Klein, que participou de um dos painéis, o “Caminho para Exportação de Calçados”. 

Destacando o poder da Fimec para movimentar não somente a cadeia coureiro-calçadista brasileira, mas também a economia regional, o diretor-presidente da Fenac, Márcio Jung, ressalta o sucesso da mostra a partir do posicionamento da nova gestão, com foco na profissionalização dos visitantes. “Quando o visitante vem e fica satisfeito, todos ganham. O expositor começa a vir naturalmente e aumentar seus espaços, ter mais visibilidade”, comenta. Segundo ele, além dos 25 mil visitantes, foram mais de 3,6 mil pessoas credenciadas para a prestação de serviços durante o evento, o que demonstra a importância social da feira enquanto geradora de renda. 

A Abicalçados participou da 43ª edição da Fimec com a realização da rodada de negócios FF Exchange, realizada no dia 26 de fevereiro entre calçadistas (âncoras) e fornecedores de tecnologia, com a apresentação do Sistema de Operações Logísticas Automatizadas (SOLA) na Fábrica Conceito e com a exposição do presidente-executivo da entidade no Fórum Fimec. 

FF Exchange
A analista de Desenvolvimento da Abicalçados, Janaína Alves, destaca que os presentes na rodada do FF Exchange saíram satisfeitos com o modelo speed dating. “As rodadas, que envolveram seis âncoras e sete fornecedores, trouxeram esse conceito de dinamicidade, uma exigência das relações de negócios contemporâneas.  Em menos de uma hora, foram formadas relações importantes e que certamente poderão perdurar e gerar negócios no futuro”, avalia, ressaltando que o tempo estipulado, de quatro minutos por apresentação, foi suficiente para que as empresas fizessem apresentações objetivas dos seus produtos. “Afinal, dificilmente uma indústria poderia ter contato com sete potenciais fornecedores em tão pouco tempo”, conclui Janaína. Como âncoras, participaram do FF Exchange as empresas Usaflex, Máquinas Sazi, Divalesi, Calçados Ramarim, Paquetá Calçados e Bebecê. Os fornecedores de tecnologia foram representados pelo CEITEC, Criativando, Hubsales, Senda, Totvs, Mesper e Easypro.

SOLA
Na Fábrica Conceito, tradicional espaço onde é montada a estrutura de um parque fabril de calçados, foi demonstrado o SOLA. O consultor da Abicalçados, Igor Hoelscher, destaca que a visitação ao estande institucional do projeto tem sido maior a cada ano. “Em um ambiente de crise, parece que finalmente o empresário está percebendo os ganhos provenientes da adoção de um sistema de operações logísticas automatizadas por meio de código de barras, com a rastreabilidade total da produção”, aponta. Segundo ele, foram atendidas mais de 20 empresas, dos mais variados portes e negócios – do fornecedor de insumos, passando pelo calçadista até o varejista. Durante os três dias de produção na estrutura, o SOLA foi responsável pelo controle logístico da Kildare e do Senai. 

O SOLA consiste em um conjunto de elementos que se utilizam dos padrões internacionais de codificação GS1 para o controle de todo o processo logístico, desde a chegada da matéria-prima na fábrica até a ponta final, no varejo. No sistema, a embalagem leva um código de barras padrão presente em mais de 150 países, facilitando o processo de produção, controle de estoques, rastreabilidade da carga, serviços de atendimento ao cliente e até ações de marketing. Mais informações em www.sola.org.br