Notícias

Em noite emocionante, Abicalçados entrega Prêmio Direções e empossa novos dirigentes

A noite do dia 25 de abril ficará na história da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). Isto porque na data foram conhecidos os vencedores da 7ª edição do Prêmio Direções e empossados os novos Conselhos Deliberativo e Fiscal da entidade, além de anunciada a transição na presidência executiva. O evento, que marcou ainda a comemoração de 36 anos da Abicalçados, aconteceu no Espaço TAO, em Novo Hamburgo/RS, reunindo associados da entidade, autoridades e representantes do setor coureiro-calçadista.

O gestor de Projetos da Abicalçados, Cristian Schlindwein, destacou que o Prêmio Direções teve número recorde de inscrições, com cases robustos e que apontam que o setor está no caminho certo na busca por competitividade. O então presidente do Conselho da entidade, Rosnei Alfredo da Silva, que passou o cargo para Caetano Bianco Neto, ressaltou que a iniciativa já está consolidada na agenda do setor calçadista nacional, valorizando boas práticas e gerando referência positivas. “Estamos aqui para valorizar as boas notícias, que muitas vezes não ganham espaço adequado em meio a tantas notícias ruins”, disse. Os vencedores (abaixo), além do troféu do Prêmio Direções, receberão divulgação nos canais de comunicação da Abicalçados. O patrocínio do Prêmio foi do Sicoob Ecocredi, Couromoda e Francal Feiras.

Mudanças
Em tom de despedida, Silva agradeceu o apoio dos conselheiros e da equipe da Abicalçados ao longo dos três anos em que esteve à frente da entidade. “A Abicalçados faz um trabalho importantíssimo para o setor, que muitas vezes não aparece”, frisou, ressaltando que, em muitos casos, algumas medidas governamentais nem chegam aos ouvidos das empresas em função da ação preventiva da entidade junto ao Poder Público. “Nos anos 80 a indústria representava 20% do PIB brasileiro, hoje esse número caiu para menos de 10%. Então, alguma coisa está errada, e o papel da Abicalçados, enquanto representante de um setor tão importante, é levar essa situação aos governos. Seguiremos com essa missão”, discursou.

Anunciando o processo de transição na presidência executiva da entidade, Heitor Klein aproveitou o momento para relembrar, de maneira breve, os seus quase 30 anos de atuação na Abicalçados. Também fez uma análise otimista do cenário atual para o setor calçadista, especialmente no mercado externo. Segundo ele, recentemente um empresário e amigo comentou sobre suas análises otimistas, que poderiam ser encaradas como forma de injetar ânimo no setor. “Disse para ele que não, que é realista, é o que penso. Estou ciente de todo o potencial da nossa indústria, com capacidade instalada, cadeia completa e integrada e viés exportador”, contou.

Segundo o executivo, mesmo a proposta do governo federal, de diminuir o imposto de importação de calçados de 35% para 15%, em média, pode ser salutar se vier acompanhada da efetivação da promessa de diminuição, na mesma medida, do custo de produção. “Efetivada essa promessa, teríamos uma diminuição de 20% no nosso custo, o que não mudaria nada em relação aos nossos concorrentes no mercado interno, mas que daria uma maior competitividade nas exportações”, disse. Para o dirigente,  cabe agora à Abicalçados e demais entidades do setor, cobrar do governo o cumprimento da promessa. “A entidade está pronta para esse papel e estará sempre vigilante pelos interesses do setor”, concluiu.

Responsabilidade
Assumindo a presidência executiva da entidade, Haroldo Ferreira ressaltou o desafio de estar à frente  da entidade. “Assumir uma entidade de mais de 35 anos, respeitada por todos os agentes da sociedade brasileira e que representa um setor tão importante para a economia brasileira traz, além de um imenso orgulho, uma grande responsabilidade”, disse, ressaltando o legado de Klein, que deixa uma Abicalçados “organizada, com uma equipe multidisciplinar em total sintonia, associados fortes e engajados que demonstram que, na prática, a união faz a força”.

Segundo Ferreira, é papel da entidade auxiliar e guiar as empresas rumo à adaptação aos novos tempos. “Vivemos uma era de transformações. São transformações nos modelos de negócios, hoje muito mais digitais, no perfil dos consumidores, cada vez mais conscientes de seu papel na sociedade, no comércio internacional, hoje muito mais integrado. Dentro deste contexto, é fundamental que a Abicalçados, como uma entidade representativa do setor calçadista, esteja em sintonia com as mudanças e auxilie os empresários na adaptação a este novo momento”, discursou.

Assumindo a presidência do Conselho Deliberativo da Abicalçados, Caetano Bianco Neto, destacou que irá retribuir a confiança que lhe foi delegada para assumir tão importante compromisso no triênio. Sobre os desafios, ressaltou que está otimista com a evolução do setor, mas que é preciso aumentar, ainda mais, a cultura do associativismo. “A situação é difícil para o setor, mas certamente se está ruim com a Abicalçados, sem a entidade estaria horrível”, discursou, acrescentando que a associação tem muitos projetos de desenvolvimento e que estará de portas abertas para as empresas, tanto as já associadas quanto as que quiserem se somar aos esforços pelo desenvolvimento da atividade.

Homenagem
O momento mais emocionante da noite foi marcado pela homenagem a Heitor Klein. Foi divulgado um vídeo. Visivelmente emocionado após a projeção de um vídeo realizado com depoimentos de parceiros de longa data e que fizeram parte da trajetória do dirigente na Abicalçados, no palco com a sua família, Klein resumiu o sentimento da noite em que inicia o seu desligamento da entidade: “aqui estão as pessoas mais importantes da minha vida, minha família e a equipe da Abicalçados”.


Confira os vencedores:

Categoria: GESTÃO INDUSTRIAL
Médio/grande porte: Vulcabras/azaleia
Projeto Inovador para a área de Gestão Industrial, com foco em produtividade. A empresa criou uma cultura nos colaboradores, que se engajaram no projeto de produzir mais e melhor, por meio da gestão adequada do uso de matérias-primas, economia de água e energia elétrica, entre outros.

Micro/pequeno porte
Sem vencedor (cases não alcançaram o número mínimo de critérios para avaliação)

 
Categoria: SUSTENTABILIDADE
Médio/Grande porte: Savelli
A empresa vencedora na categoria Sustentabilidade médio/grande porte abrangeu os três pilares do conceito: ambiental, econômico e social. Investiu em políticas internas de reciclagem, reaproveitamento e descarte adequado de materiais; na utilização racional dos recursos naturais; instigou o desenvolvimento pessoal e profissional dos seus colaboradores; e trabalhou em parceria com entidades de auxílio à comunidade.

Micro/Pequeno porte: Levine (IPADMA)
A IPADMA, marca da Levine, recebeu o Prêmio com o seu projeto de desenvolvimento sustentável. A empresa conquistou uma fatia importante do mercado com seus produtos fabricados com materiais reciclados e reaproveitados, especialmente o couro. Além disso, investiu em adesivos à base d´água. Dentro do movimento denominado slow fashion, a indústria tem produtos com design ousado e moderno.

 
Categoria: MARKETING
Médio/Grande porte: Pimpolho
A tradicional indústria de calçados infantis Pimpolho desenvolveu um produto que une tecnologia e ludicidade. A empresa criou sapatinhos com canções de ninar para pequenos e pequenos de 0 a 7 meses de idade. O calçado, que funciona por meio de um aplicativo no smartphone chamou a atenção do mercado e conquistou crianças, mamães e papais. 

Micro/pequeno porte: Elef Shoes
A Elef Shoes apostou em uma linha de produtos veganos co-criados com o mestre de yoga e influencer digital Carlo Guaragna. Com um DNA jovem e contemporâneo, a empresa desenvolveu calçados sustentáveis produzidos com materiais reciclados, especialmente lonas, e foi destaque na mídia nacional.


Categoria: DESIGN
Médio/grande porte: ÖUS
Fundada em 2008 com o objetivo de trazer a cultura de rua e do skate para o calçado, a ÖUS criou uma linha em parceria com a hamburgueria Whatafuck. O projeto consiste em um produto com solado construído à base do bagaço de malte, resíduo da produção cervejeira. Sob o slogan “Cerveja de verdade até na sola do pé”, a novidade foi lançada, em 26 de julho de 2017, na própria Whatafuck, que entrou de cabeça na parceria: ao comprar o produto, o cliente ganhava vouchers no valor dos tênis para consumir em hambúrgueres e cerveja na loja. .

Micro/pequeno porte: Bléque
A jovem empresa Bléque nasceu com um propósito e o coloca em prática diariamente. O projeto vencedor traz um calçado com design atemporal e com propósito ambientalmente correto, com utilização de materiais sustentáveis e auxílio a pequenos produtores. Em parceria com o atelier Natália Rios, a Bléque fabricou produtos com couros de pirarucu e tilápia isentos de cromo e chamou a atenção do mercado.


Categoria: INTERNACIONALIZAÇÃO
Médio/grande porte
A marca de calçados confortáveis Usaflex levou o Prêmio por conta de um projeto estruturado para a expansão internacional por meio de lojas licenciadas nos mercados da Bolívia, El Salvador, Costa Rica e Israel.

Micro/pequeno porte
Sem vencedor (cases não alcançaram o número mínimo de critérios para avaliação)

 
Categoria: MATÉRIA SETORIAL
A matéria vencedora do Prêmio Direções 2019 foi escrita pelos jornalistas Mary Silva e Nelson Zimmer, sob o título "Onde está o futuro?". Abordando mudanças no perfil do consumidor contemporâneo, menos preocupado com ostentação e mais consciente ambiental e socialmente, a reportagem apresentou  o impacto dessa transformação na estética dos produtos.


Conselho Deliberativo
2019/2022

Analdo S. Moraes 
Astor R. Ranft
Caetano Bianco Neto
Caio Borges
Carlos A. Mestriner
Claudio Chies
Darcio Klaus (Cisso)
Jorge Bischoff
Junior César Silva
Marco L. Meller
Paulo Konrath
Renato Klein
Ricardo José Wirth
Rosnei A. Silva
Samir Nakad
Sérgio Gracia

Conselho Fiscal
2019/2022

Danilo Cristófoli
Eduardo Jacob
José Paulo Boelter
Maurício de Vargas
Paulo Vicente Bender
João Altair dos Santos